Você está em: Home > Revista e noticias

NOTÍCIA

Patesca ou Moitao

A patesca é um equipamento relativamente simples.

Patesca ou Moitao
A patesca é um equipamento relativamente simples, composto basicamente por uma roldana normalmente de aço galvanizado e duas chapas de apoio moldadas, que na prática proporciona a multiplicação da força mecânica aplicada a um objeto imóvel, por exemplo, um veículo atolado, através de um cabo. Quando utilizada com um guincho, essa força multiplicada é bastante útil e recomendada para tornar mais fácil o trabalho do guincho em situações que podem até superar sua capacidade de força.

As diferenças entre patesca são em relação aos pinos centrais que podem ser vazados, com bico de engraxadeira e inteiriço.

Ao escolher sua patesca, é importante escolher uma de capacidade próxima de seu guincho e diâmetro de cabo de aço, pois ela possui a resistência conjunta com o cabo de aço e o guincho. Patesca grande usadas em guinchos pequenos podem danificar os cabos e o uso causar danos. Como patesca pequenas usadas em guinchos de maior capacidade podem quebrar gerando prejuízos ao usuário.

Patesca Direcionando o Cabo de aço


Uma de suas funções é fazer direcionamento de cabo para direcionar o arrasto e poupar o desgaste do cabo.



Como na figura abaixo, usa um ponto de ancoragem que pode ser estático ou um veiculo, juntamente com a manilha, cinta e patesca faz o direcionamento do cabo.

A força multiplicada obtida com uma patesca depende da forma como é utilizada. Nesta imagem podemos ver uma das formas de utilização mais comuns, considerando sempre que, o ponto "Móvel" é o veículo atolado e o "Fixo" será o veículo guincho ou ponto de ancoragem:

Na imagem acima, o cabo do guincho passa pela patesca presa ao veículo imobilizado por uma cinta e no mínimo uma anilha e retorna ao próprio veículo guincho. Na prática, essa forma de utilização, duplica a força aplicada, ou divide o peso entre os dois veículos.

A força de um lado da patesca é a mesma do lado oposto. No exemplo apresentado, uma força de duas toneladas, necessária para deslocar o veículo em apuros, é dividida por dois cabos cabendo uma tonelada para cada um deles. Como um dos cabos é o do guincho, esta é a força à qual o guincho está submetido. A outra força é aplicada ao ponto de ancoragem.



Importante: O ideal é que os cabos fiquem o mais paralelos possível, já que desta forma o esforço é otimizado e a probabilidade de ruptura diminui.

Na imagem a seguir temos um resgate realizado com duas patescas, ilustrando o caminho do cabo e indicando as forças em cada segmento. Uma patesca presa ao veículo a ser socorrido ou no objeto estático e outra presa ao veículo guincho (fixo).



Note que em cada patesca há um equilíbrio de forças e que tanto o veículo guincho quanto o veículo socorrido estão sujeitos a três toneladas. O guincho, porém, está sujeito apenas a força de uma tonelada. Assim a vantagem mecânica é de 3:1 (três para um). Isto significa que a força de arraste do guincho foi triplicada.. Se a patesca próxima ao veículo guincho for presa a um ponto de ancoragem fora do veículo, diminuirá a chance de arrastar o próprio veículo guincho já que estará sujeito a apenas um terço da força total de tração.

Observe também que em cada patesca temos um equilíbrio de forças e que tanto o veículo quanto o ponto de ancoragem estão sujeitos a três toneladas. O guincho, entretanto, está sujeito a apenas uma tonelada, assim como o segundo ponto de ancoragem externo.

Neste caso a vantagem mecânica também é 3:1 (três para um). Isto significa que a força de arrasto é o triplo da força no guincho.
Por último, a patesca deve ser usada sempre associada a anilhas e cintas de reboque e nunca deve ser utilizada diretamente no tecido da cinta.

OBS IMPORTANTES:

1- veículos pequenos e médios que utilizam guinchos acima de 11.000 libras devem evitar o uso da patesca, pois a mesma dobra a forca do guincho, consequentemente podendo empenar o chassi ou o próprio guincho ser arrancada da frente do veiculo. Este automóveis possuem chassi pequeno e de pouco resistência estrutural.
2- Após o uso da patesca, é importante fazer um exame para verificar se a mesma não foi danificada comprometendo seu futuro funcionamento. A limpeza e lubrificação da patesca e fundamental para sua longevidade.

Quaisquer duvidas ou informações entre em contato info@cj8.com.br
Autor.:Christian Hempel

COMENTE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS


Não possui comentários



ANÚNCIOS INDICADOS